Seap forma primeira reeducanda do sistema no Ensino Superior

Compartilhe:

A reeducada obteve a certificação por meio do ’Programa Conhecimento que Liberta’, parceria entre a Seap e instituição

Nesta sexta-feira (10/11), a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap), em parceria com a Universidade Estácio de Sá, através do Programa Conhecimento que Liberta e Projeto Segura, realizou a cerimônia de conclusão do Ensino Superior da primeira reeducanda a se formar no sistema penitenciário do Amazonas. O ato ocorreu no Centro de Detenção Feminino de Manaus (CDF), localizado no Km 8 da BR-174.

Ofertado através da modalidade de Educação à Distância (EaD), o curso foi realizado por meio de cooperação técnica entre o órgão e a instituição, o que resultou na possibilidade de capacitação da custodiada e, consequentemente, na chance de novas oportunidades para a retomada da sua vida pós-cárcere.

De acordo com o secretário da Seap, coronel Paulo Cesar, parcerias como esta são benéficas às pessoas privadas de liberdade (PPL´s), pois levam educação aos custodiados, algo que, infelizmente, muitos deles não tiveram acesso. Isso evidencia o papel desempenhado pelo Governo do Estado em oportunizar educação digna dentro do sistema prisional, dando assim, a chance de que novos caminhos sejam traçados longe da criminalidade.

Segundo o representante da Universidade Estácio de Sá, professor Eduardo Segura, “É um desafio levar educação ao sistema, mas isso é um motivo de grande honra para todos nós. Já são 4 anos mudando vidas das pessoas custodiadas, e isso é só o começo”, afirmou.

Com duração de dois anos, o curso de Logística foi a escolha da reeducanda que, além de participar com frequência das atividades desempenhadas dentro do sistema, também se fez presente nos exames nacionais promovidos dentro do sistema prisional, e foi a vencedora do 6° Concurso de Redação para Pessoas Privadas de Liberdade assinado pela Defensoria Pública da União (DPU) e pelo Departamento Penitenciário Nacional (Depen), concurso este realizado a nível nacional, em fevereiro deste ano.

Para a formanda Idalina de Souza, o momento vivenciado é motivo de honra, pois marca uma nova fase em sua vida.

“Estou muito orgulhosa de mim, do que eu consegui alcançar e em ver e viver a oportunidade que a Secretaria me proporcionou. Esta porta foi aberta não só para mim, mas sim para todas as reeducandas do sistema que buscam uma chance para se reintegrar à sociedade”, pontuou a custodiada.

FOTOS: Divulgação/Seap

Legendas:

Compartilhe:
Redação
Redação
Artigos: 6524