Dra. Mayara convoca governo, prefeitura e órgãos de controle para tratar sobre Ômicron

Compartilhe:

Cinco casos foram confirmados no Brasil, Amazonas segue sem registros até o momento

Como presidente da Comissão de Saúde e Previdência da Aleam (CSP), a deputada Dra. Mayara Pinheiro (Progressistas) convocou uma Audiência Pública virtual, na próxima terça-feira(7), para debater medidas e ações para conter a disseminação da Ômicron, nova variante da Covid-19 que foi identificada como preocupante pela Organização Mundial da Saúde (OMS). No Brasil, cinco casos já estão confirmados da nova cepa.

No dia 29 de novembro, a parlamentar enviou ofícios para Fundação de Vigilância em Saúde (FVS) e a Secretaria de Estado de Saúde(SES), solicitando informações sobre as tomadas de decisões de cada pasta para combater a propagação da nova variante e o preparo das unidades para cuidar dos pacientes infectados. Até o momento, não há nenhum caso registrado no Amazonas.

Segundo Mayara, o Estado precisa de um olhar diferenciado quando o assunto é saúde e pandemia.“Muitas vidas se perderam até aqui e não podemos permitir que o Estado sofra mais uma vez por conta da pandemia do Coronavírus. Sendo médica e presidente da Comissão de Saúde e Previdência desta Casa Legislativa, não posso deixar de acompanhar o desdobramento dos fatos e pedir respostas sobre as estratégias montadas para esse momento, e também contribuir com sugestões. Minha preocupação é garantir que o povo amazonense seja assistido de forma eficaz”, destacou.

A Audiência Pública terá início às 14h30, com transmissão ao vivo no Youtube e Facebook da deputada Dra. Mayara, além de estar disponível nas redes da Assembleia Legislativa posteriormente. Devem participar da audiência, representantes da Secretaria de Estado de Saúde(SES), Fundação de Vigilância em Saúde (FVS), Ministério Público do Estado (MPAM), Defensoria Pública do Estado do Amazonas (DPE-AM), Secretaria Municipal da Saúde (Semsa), Conselho de Secretários Municipais de Saúde do Amazonas (Cosems), Fundação Osvaldo Cruz (Fiocruz Amazônia), Fundação de Medicina Tropical (FMT), Universidade Federal do Amazonas (Ufam), Universidade do Estado do Amazonas (UEA), e demais membros da comissão.

Compartilhe: