Programa oferece suporte emocional a vítimas de violência

Compartilhe:

Mais de 18,6 milhões de mulheres foram agredidas no Brasil, em 2022, segundo dados do Fórum Brasileiro de Segurança Pública e Datafolha. Por dia, esse número representa um estádio lotado. Uma média de 50 mil vítimas sofrendo algum tipo de violência todos os dias.

Por isso, a Legião da Boa Vontade (LBV) está intensificando seu atendimento psicológico para pessoas do gênero feminino a partir dos 12 anos, priorizando as que se encontram em situação de pobreza. A iniciativa é destinada a vítimas de violência doméstica, de gênero e dos diferentes tipos de discriminação, sexismo e violação dos direitos humanos.

A ação faz parte do programa Ser Mulher que tem o objetivo de oferecer atendimentos psicológicos on-line, gratuito, de forma a oportunizar apoio emocional, melhora da autoestima, autoconhecimento e empoderamento a meninas e mulheres, apoiando-as no enfrentamento e no rompimento dos ciclos de violência e na ressignificação das experiências vividas.

As inscrições podem ser feitas de qualquer parte do Brasil pelo WhatsApp (11) 99996-6557. Na sequência, é feito o primeiro contato, para o preenchimento da ficha de interesse; após essa etapa, o caso é analisado, e ocorre o atendimento para o agendamento da entrevista psicológica, que é realizada por chamada de vídeo, em formato individual. Para outras informações, acesse www.lbv.org.br/programa-ser-mulher.

Vagas para psicólogas e psicanalistas voluntárias de todo Brasil

Psicólogas e psicanalistas que queiram atuar como voluntárias no Programa, podem se inscrever. A atividade consiste em prestar atendimento a mulheres e meninas com vivências de violência em todas as suas manifestações. Para atuar nesse trabalho é importante que esse profissional seja mulher, que tenha formação em Psicologia, registro ativo no Conselho Regional de Psicologia (CRP) e disponibilidade mínima de duas horas semanais.

Para se tornar um voluntário é necessário acessar o link  https://www.lbv.org/contato/seja-um-voluntario. Siga o perfil nas @LBVBrasil nas Redes Sociais e acompanhe o trabalho de proteção à mulher.

Compartilhe:
Redação
Redação
Artigos: 6409