Ministério Público lança projeto “Não Seja Mula” em parceria com a PF

Compartilhe:

Apresentação ocorreu durante workshop da Semana de Combate a Crimes Aeroportuários, promovida pelo Núcleo de Polícia Aeroportuária (NPAER)

Na semana em que o Amazonas recebe grande fluxo de passageiros em razão da 57ª edição do Festival Folclórico de Parintins, o Ministério Público do Estado do Amazonas (MPAM), por meio da 86ª Promotoria de Justiça Especializada em Crimes de Uso e Tráfico de Entorpecentes, realizou, na manhã desta terça-feira (25/06), o lançamento oficial do projeto “Não Seja Mula”, em parceria com a Polícia Federal, no auditório do Aeroporto Internacional Eduardo Gomes.

A apresentação ocorreu durante o workshop “Interdição de Drogas em Aeroportos”, parte da Semana de Combate a Crimes Aeroportuários, evento promovido pelo Núcleo de Polícia Aeroportuária (NPAER), com o objeto de abordar medidas não repressivas e socioeducativas no combate ao tráfico de drogas por meio de mulas na região amazônica.

Segundo a promotora de Justiça Yara Rebeca Albuquerque Marinho de Paula, criadora do projeto, mulas são pessoas que, mesmo não necessariamente tendo alguma ligação com facção criminosa ou sendo usuárias, submetem-se ao transporte da droga, afixada no corpo, para levarem a outros Estados da federação com a promessa de receberem dinheiro e bens materiais.

Semanalmente, às vezes diariamente, ‘mulas’ são condenadas na Justiça, mas não pelo envolvimento com o tráfico e sim pela prática do crime. Sabendo disso, o MP pretende, com esse projeto, conscientizar a população, fazer a informação chegar na pessoa e ela não aceitar a condição de mula, criar uma consciência coletiva. Quando a pessoa pratica o crime de tráfico de entorpecentes na condição de mula, ela causa um prejuízo a si e a toda a sociedade”, afirmou a promotora de Justiça.

De acordo com o chefe do NPAER Júlio César Queiroz, a iniciativa partiu de uma visita técnica do MPAM com a ideia de criar ações preventivas e sociais sobre combate às drogas. “O Ministério Público é visto historicamente como o dono da ação criminal, mas nessa iniciativa estamos juntando as forças institucionais para fazer a parte preventiva, levando informação até a população”, comentou.

Nascimento do Projeto

A promotora de Justiça Yara Marinho comentou sobre os dados públicos disponibilizados pela Polícia Federal do Amazonas, via Operação Closed Gate, que traçou o perfil das pessoas que atuam como “mulas”. Em média, elas têm de 20 a 40 anos, em sua maioria mulheres de baixa renda e com dificuldades financeiras.

Após o perfilamento, o MPAM realizou a visita técnica ao aeroporto Eduardo Gomes em maio de 2024, para acompanhar as ações na área de combate às drogas e o levantamento de ideias de ações preventivas e sociais que intervenham na prática do tráfico.

Confirma mais imagens do evento no Flickr do MPAM.

Texto: Ramon Oliveira

Foto: Hirailton Gomes

Compartilhe:
Redação
Redação
Artigos: 6535