Manejo do pirarucu do Vale do Javari é destaque do Festival de Pesca de Atalaia do Norte

Compartilhe:

Atalaia do Norte (distante 1.136 quilômetros de Manaus), no Vale do Javari, se tornou a capital da pesca manejada do Alto Solimões nesta semana. Teve início, na segunda-feira (11) a primeira edição do Festival da Pesca Manejada de Atalaia do Norte (Festpeman), uma parceria da Prefeitura de Atalaia do Norte com empresas e instituições públicas e privadas. Dentro do Festival, é realizada a 4º Feira do Pirarucu Manejado, que comercializa o pescado de comunidades ribeirinhas e indígenas da região. O evento vai até o sábado (16) com a feira do pescado, campeonato de pesca esportiva, atrações culturais e musicais e escolha da rainha do Festpeman.

O grande destaque do Festpeman é o manejo do pescado da Terra Indígena (TI) Vale do Javari, que neste ano está realizando a pesca nos lagos das etnias Kanamari e Mayuruna. A intenção da organização é que no próximo ano seja estendida para as demais etnias do Vale do Javari. Outra parte dos pirarucus é retirada dos lagos da comunidade ribeirinha de São Rafael, no rio Itacoaí.

Todo trabalho é acompanhado por profissionais técnicos e licenciado por órgãos fiscalizadores. Para esta edição, o IBAMA liberou uma cota para pesca de 342 pirarucus, sendo destes 251 no Vale do Javari e 91 na comunidade São Rafael. O pescado está sendo comercializado em feira montada na praça de alimentação Vale do Javari, na sede do município. O quilo do pescado custa entre R$ 5 e R$ 12,50.

Denis Paiva (UB), prefeito de Atalaia do Norte, explica a importância do manejo do pirarucu que já é um grande sucesso. “A pesca manejada vem para dar oportunidade aos indígenas e ribeirinhos de Atalaia do Norte. Agora eles podem comercializar, de forma legal e justa, o pescado fresco e de qualidade. Nossa meta para o próximo ano é de conseguir, junto ao IBAMA, a liberação para a pesca de 2,5 mil pirarucus. Isso vai levar renda e oportunidade para mais famílias”, comentou.

O gestor municipal afirmou, ainda, que trabalhou para que não existissem atravessadores na comercialização do pescado. “Hoje podemos afirmar que não existem pessoas que compram os peixes para revender a um preço acima da nossa tabela, uma prática sempre contrariada por nós. O grande foco da Feira do Pirarucu é de levar peixe com preço acessível e de procedência legal aos atalaienses e visitantes. Estabelecemos também um limite para compra individual de 5kg para que todos possam adquirir o pescado”, explicou.

A Feira do Pirarucu segue durante toda a semana de 7h às 14h, nos stands montados na área da praça de alimentação Vale do Javari. Uma programação que varia entre atrações musicais, apresentações culturais e exposição de artesanatos vai agitar a semana, todas as noites. No sábado (16), no encerramento do Festpeman, a partir das 18h, será realizada a escolha da rainha do Festival, premiação do torneio de pesca e a apresentação de atrações musicais.

Fotos: Nailson Tenazor


Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Atalaia do Norte
Matheus Ravel Tenazor – Jornalista responsável
(92) 98256-5511
Compartilhe:
Redação
Redação
Artigos: 6524