Em resposta ao deputado Wilker, SSP-AM confirma existência do relatório que aponta suposta ligação do ‘prefeito David Almeida com facções criminosas’, e informa que documento foi encaminhado ao MPAM

Compartilhe:

O deputado estadual Wilker Barreto (Cidadania) usou a tribuna da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) desta terça-feira, 1º, para repercutir a resposta da Secretaria Executiva Adjunta de Inteligência da Segurança Pública do Estado (SEAI/SSP/AM) ao pedido do parlamentar que solicitava informações da pasta acerca do relatório que apontou uma suposta aliança do prefeito David Almeida (Avante) com uma facção criminosa durante as eleições municipais de 2020, conforme reportagem do site Metrópoles veiculada no dia 22 de outubro deste ano.

Após a revelação da denúncia, Wilker encaminhou, no dia 27 de outubro, o ofício nº 151/2022 para o setor de inteligência da SSP-AM pedindo esclarecimentos referentes ao Relatório Técnico de Análise de Dados Telemáticos nº 36/2020 – SEAI/SSP-AM, fruto de uma análise minuciosa feita em celulares de integrantes da organização criminosa Comando Vermelho que revelou supostas conversas dos membros com assessores do candidato David Almeida nas vésperas do pleito de 2020. As informações coletadas sugerem um possível financiamento da campanha eleitoral do chefe do Executivo municipal com facções criminosas que giram em torno de R$ 70 mil, em troca de apoio.

No dia seguinte (28/10), a SEAI/SSP/AM por meio do ofício nº 211/2022 assinado pelo titular da pasta, Cel EB Jorge Gonçalves, respondeu à solicitação do deputado informando que a informação “possui natureza especializada de inteligência que, por sua vez, encontra-se albergada pela proteção do sigilo que lhe é próprio”. Além disso, o documento cita “o motivo pelo qual estamos impedidos de atender a vossa solicitação, outrossim, informamos que os documentos referentes ao caso em comento foram encaminhados ao Ministério Público do Estado do Amazonas”.

Para Barreto, a resposta da SSP-AM confirma a veracidade do relatório e desmente o prefeito David Almeida, que classificou o documento como um “dossiê, ou seja, com juízo de valor.

“A secretaria de inteligência da SSP reconhece a existência do relatório e encaminha o documento para o Ministério Público, ou seja, não é um dossiê. Essa é a base e a sustentação para chamarmos o secretário da segurança pública nesta Casa, já que existe a materialidade”, afirmou o parlamentar.

Wilker reforçou que o intuito do chamamento do titular da pasta à Casa Legislativa é questionar a demora pela investigação do relatório feito em 2020 e esclarecer os fatos para a sociedade amazonense.

“Eu não quero ter acesso ao processo e entrar no mérito da investigação, quero entender a cronologia, do porquê que um relatório dessa magnitude dormitou há dois anos e se isso será elucidado. Quem engavetou, quem prevaricou? Esta Casa precisa ter a coragem de fazer o seu papel”, finalizou.

Assessoria de Comunicação Deputado Estadual Wilker Barreto

 

Jornalista responsável: Nathália Silveira (92) 98157-3351

Texto: Dayson Valente

Compartilhe:
Redação
Redação
Artigos: 6083