A IA como aliada da advocacia pública brasileira é tema de abertura do evento técnico do 2º Seminário Renagei

Compartilhe:

A Inteligência Artificial foi debatida pelos procuradores de todo o país, que participam do evento nacional

O evento técnico do 2º Seminário Renagei teve início nesta quinta-feira (25/04), no Centro de Convenções Vasco Vasques, em Manaus. Durante dois dias, procuradores de todo o país estarão reunidos na capital amazonense para discutir sobre Governança, Integridade e Inovação na Advocacia Pública Brasileira.

Pela parte da manhã, os participantes puderam acompanhar o Painel 1: “IA Generativa: Como o mundo e o nosso trabalho irão mudar?”, dividido entre os temas “IA, Ética e Sistema Judicial Brasileiro” e “IA e o fomento à inovação no Poder Público”.

“A IA Generativa, como no caso do ChatGPT, é uma realidade. É inexorável que todos nós usemos tanto na advocacia pública quanto na advocacia privada, em todos os meios de atuação profissional e acadêmica, mas primeiro é preciso ter uma consciência ética sobre a utilização dessa ferramenta. É uma ferramenta importante, mas é preciso que se tenha consciência na sua utilização e saiba como utilizá-la”, declarou a corregedora-geral da Procuradoria Geral do Estado (PGE-AM), Clara Maria Lindoso e Lima.

A realização do 2º Seminário Renagei é da PGE-AM e Rede Nacional de Gestão Estratégica e Inovação das Procuradorias Gerais dos Estados e Distrito Federal (Renagei), com apoio do Governo do Amazonas.

Entre os palestrantes convidados estão a professora doutora Débora Bonat, da Universidade de Brasília; Mauro Nogueira, advogado da União; Ronan Damasco, diretor de tecnologia nacional da Microsoft; Leopoldo Muraro, procurador federal e consultor jurídico do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação da FAPDF; e Renata Vianna, superintendente de Ciência, Tecnologia e Inovação da FAPDF.

Para a subprocuradora-geral do Distrito Federal e presidente do Renagei, Izabela Frota Melo, a realização do 2º Seminário Renagei em Manaus é estratégico para a Rede.

“A Renagei inova conectando pessoas e Manaus foi escolhida por ser a principal capital da região Norte do Brasil. É uma oportunidade única e nós acreditamos que esse é o melhor ambiente para esse ecossistema judicial para a advocacia nacional se reunir e avançar nesses temas”, afirma Izabela Frota.

Na opinião do presidente da Associação dos Procuradores do Estado do Amazonas (Apeam), Luis Eduardo Dantas, o evento é de fundamental importância para os rumos da advocacia pública brasileira, principalmente frente aos avanços da tecnologia, com o uso da Inteligência Artificial.

“A IA é uma realidade, já vem sendo utilizada pelos Tribunais e trazendo enorme dificuldade para a advocacia pública em termos de respostas. Com a IA eles têm um poder de decisões e atuações muito maior que a advocacia pública. Isso, realmente, nos abarrota em termos de demandas. Por isso a gente precisa correr atrás dessas inovações, justamente para termos uma paridade e como dar uma resposta eficiente dentro da nossa realidade”, afirma o Procurador do Estado Luis Eduardo Dantas.

FOTOS: Antonio Lima / Secom

Compartilhe:
Redação
Redação
Artigos: 6409