TEA & Arte: Diálogo sobre pedagogias inclusivas, educação específica e mediação como questão pública

Compartilhe:

O evento faz parte do Circuito Enxergando o Invisível – Arte e Acessibilidade e acontece neste sábado

O Circuito Enxergando o Invisível continua a promover discussões significativas sobre Arte e Acessibilidade com a realização de seu evento no dia 17 de Junho. O projeto, contemplado pelo edital Manaus Faz Cultura 2022, da Prefeitura de Manaus, tem como objetivo ampliar a conscientização sobre a inclusão de pessoas com deficiência nas artes e promover um diálogo aberto entre multiartistas, pedagogos, educadores e a sociedade manauara.

Nas duas primeiras mesas, realizadas nos dias 9 e 10 de Junho, foram abordadas práticas pedagógicas e processos criativos voltados para pessoas com deficiências visuais, além de uma roda de conversa com o renomado ator Cleber Tolini, que compartilhou suas vivências como artista com baixa visão.

Ananda Guimarães, idealizadora do projeto, destacou a importância da presença de pessoas com deficiência nas discussões. Segundo ela: “Achei muito interessante como muitas pessoas que foram são da universidade e algumas delas também têm uma deficiência, então são pessoas que querem entender essa possibilidade de criar novas narrativas dentro desse contexto da universidade, institucionais. Fico muito feliz em saber que eram PCDs que estavam ali falando sobre suas deficiências, muitas vezes falar sobre deficiência, como uma diversidade, como uma pesquisa vem de uma pessoa sem deficiência, para pessoas com deficiência, então entender que nesse espaço eu consigo convidar, escolher quem vai é muito importante também. Eu desejo repetir várias outras vezes esse projeto, e também, alcançar mais pessoas para despertar a curiosidade a partir do discurso e fortalecer a importância de todo o movimento.”

No encerramento do circuito, neste sábado, será realizada a mesa de discussão ”TEA & Arte – entender para incluir”, que abordará o Transtorno do Espectro do Autismo (TEA) e os processos de inclusão em sala de aula, com foco em adaptações sensoriais e estratégias comportamentais embasadas em evidências científicas. A palestra será ministrada por Glendanay Serudo, neuropsicopedagoga com experiência na área da educação inclusiva.

O evento é aberto a todos os interessados, sejam profissionais da área cultural, educadores ou simplesmente pessoas interessadas no assunto.

Detalhes do Evento

Data: Sábado, 17 de junho

Horário: 10h

Local: Casa de Artes Trilhares – Rua Belo Horizonte, 1408.

As inscrições para o evento do dia 17 de junho estão abertas e podem ser feitas por meio do link abaixo:

https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSdymcsFLyqq808pY90AUwJVT6WeF993B8bRy64R0A0ZWVHxIQ/viewform?usp=sf_link

Circuito Enxergando o Invisível

O Circuito Enxergando o Invisível é uma iniciativa que busca promover a discussão e a conscientização sobre a inclusão de pessoas com deficiência nas artes. Contemplado pelo edital Manaus Faz Cultura 2022, o projeto reúne multiartistas, pedagogos e a sociedade manauara em um diálogo aberto sobre a acessibilidade e a importância da inclusão nas práticas artísticas.

Ananda Guimarães

Ananda Guimarães Barbosa é atriz, palhaça, arte educadora e pesquisadora das artes da cena e acessibilidade. Com sua experiência pessoal e profissional, Ananda busca ampliar o acesso e a participação de todos na apreciação e prática das artes, promovendo debates e conscientizando sobre a importância da inclusão de pessoas com deficiência nas artes cênicas.

Programa Manaus Faz Cultura

Este projeto foi contemplado pelo edital MANAUS FAZ CULTURA 2022, da Prefeitura de Manaus, e atende ao Programa de Cultura Itinerante do município.

Mais informações:

Maria Fernanda Carmim – Assessoria de Imprensa

comun.carmim@gmail.com

Compartilhe:
Redação
Redação
Artigos: 6409