SESSÃO PLENÁRIA DO CONFEA: VEJA COMO FOI PRIMEIRA CERIMÔNIA DA NOVA GESTÃO

Compartilhe:

Iniciou na manhã desta quarta-feira (24/1), a primeira Sessão Plenária do Confea de 2024, que inaugura o mandato do presidente eng. telecom. Vinicius Marchese Marinelli e de seis novos conselheiros federais. “Espero que não percamos de vista, em nenhum momento, os desejos e necessidades dos profissionais. Que este seja o nosso foco!”, pontuou Marchese em sua fala de abertura dos trabalhos.

Na sequência, os conselheiros federais procederam à recondução do conselheiro federal eng. eletric. Evânio Nicoleit à cadeira da Vice-Presidência. Abaixo, a lista de como ficaram os grupos regimentais em que se dividem os conselheiros para darem andamentos aos trabalhos:

Conselho Diretor

Eng. Telecom. Vinicius Marchese

Eng. Eletric. Evânio Nicoleit

Eng. Agr. Álvaro Bridi

Eng. Mec. Lucas Carneiro

Eng. Agr. Francisco Lira

Eng. Eletric. Marcos Drago

Eng. Ftal. Nielsen Christianni

Comissão de Articulação Institucional do Sistema – Cais

Coordenador: eng. agr. Cândido Carnaúba Mota

Eng. Eletric. Célio de Oliveira

Eng. Agr. Francisco Lira

Eng. Eletric. Evânio Nicoleit

Comissão de Controle e Sustentabilidade do Sistema – CCSS

Coordenador: eng. mec. Aysson Rosas Filho

Eng. Civ. Ana Adalgisa

Eng. Prod. Daniel Robles

Comissão de Educação e Atribuição Profissional – Ceap

Coordenador: eng. civ. Joel Krüger

Eng. Agr. Luiz Lucchesi

Eng. Agr. Álvaro Bridi

Comissão de Exercício e Ética Profissional – Ceep

Coordenador: eng. eletric. Sérgio Maurício Mendonça Cardoso

Eng. Civ. Domingos Sahib Neto

Eng. Mec. Lucas Carneiro

Eng. Ftal. Nielsen Christianni

Comissão de Organização, Normas e Procedimentos – Conp

Coordenador: eng. civ. Neemias Machado Barbosa

Eng. Civ. Carmem Lúcia Petraglia

Eng. Eletric. Marcos Drago

Geól. Mário Cavalcanti

Comissão Eleitoral Federal – CEF

Coordenador: eng. civ. Neemias Machado Barbosa

Eng. Eletric. Sérgio Maurício Mendonça Cardoso

Eng. Civ. Carmem Lúcia Petraglia

Eng. Prod. Daniel Robles

Eng. Civ. Ana Adalgisa

Suplentes

1º – eng. agr. Cândido Carnaúba Mota

2º – eng. mec. Aysson Rosas Filho

3º – eng. eletric. Marcos Drago

4º – eng. agr. Francisco Lira

5º – eng. ftal. Nielsen Christianni

Comissão do Mérito – CME

Coordenador: eng. agr. Luiz Lucchesi

Eng. Civ. Domingos Sahib Neto

Eng. Agr. Cândido Carnaúba Mota

Geól. Mário Cavalcanti

Eng. Civ. Joel Krüger

Representante do plenário no Comitê Gestor do Prodesu

Eng. Civ. Domingos Sahib Neto

Suplente: Eng. Civ. Neemias Machado Barbosa

Representante do plenário no Conselho de Comunicação e Marketing – CCM

Eng. Civ. Ana Adalgisa

Representante do plenário no Programa Mulher

Eng. Civ. Carmem Lúcia Petraglia

Escoamento da produção no Nordeste

Ainda pela manhã, um debate tomou conta dos comunicados dos conselheiros: representantes de Alagoas, Rio Grande do Norte e Paraíba se manifestaram a respeito da desistência da concessão da Ferrovia Transnordestina Logística em prover infraestrutura nos estados mencionados, além de Pernambuco. As obras se iniciaram em 2006 e, para não as finalizar, a empresa devolverá perto de R$ 1 bilhão aos cofres públicos, segundo comentou o conselheiro federal eng. agr. Cândido Carnaúba Mota (RN). “Eles tinham o compromisso de manutenção e aumento da malha, mas foi um desastre essa concessão, eles não só não fizeram as manutenções devidas, como reduziram a quantidade de quilômetros de alguns trechos, prejudicaram radicalmente os portos dessa região. É um verdadeiro descaso com o Nordeste, sofremos muito, é uma lástima”.

“É importante nacionalizar essa discussão porque o desenvolvimento do Nordeste é o desenvolvimento do país. Não dá para separar”, pontuou a presidente do Crea-AL, eng. civ. Rosa Tenório. “Mais de 50% da malha ferroviária do país se concentra na região Sudeste. Mas temos portos importantíssimos no Nordeste, a exemplo do Suape, do porto de Paraíba, do Rio Grande do Norte e de Alagoas, que ficam muito ociosos, que poderiam ter um desempenho muito maior com a implantação dessa ferrovia”. Tenório fez um apelo para que o Sistema mobilize o setor produtivo em torno da pauta e leve a discussão para o poder público federal.

Já o presidente do Crea-PB e ex-conselheiro federal, eng. minas Renan Azevedo, sugeriu que o tema fosse incluso na Agenda Parlamentar do próximo Encontro de Líderes. “Assim podemos mostrar, através do Confea, que este não é um interesse só do Nordeste, mas do Brasil. As transferências de mercadorias e produtos são do interesse de toda a nação. A redução drástica da malha ferroviária do Nordeste vai afetar brutalmente o setor comercial e produtivo”. A conselheira federal eng. civ. Ana Adalgisa e ex-presidente do Crea-RN lamenta que seu estado, grande produtor de frutas e sal, tenha que escoar a produção por rodovias, modal tão menos eficiente para a atividade. “Os estados do Nordeste Oriental (RN, PB, AL, PE) hoje estão totalmente fora da Transnordestina, que hoje une Ceará até Piauí. A gente passa a não fazer parte não só da malha ferroviária, mas de todo o escoamento de produção que poderia ser unindo o Sul o Norte e o Nordeste”.

Os quatro representantes que se manifestaram clamaram por um apoio do Confea no sentido de sensibilizar lideranças políticas quanto ao tema. O presidente Vinicius se colocou à disposição dos colegas para dar andamento aos anseios que também devem ser dos profissionais do Nordeste. “Uma das prioridades será essa gestão junto ao Congresso para nos posicionarmos e dar todo o suporte técnico, esse será um dos nossos focos nos próximos anos”, disse.

Nesta tarde, os conselheiros farão a instalação das comissões. Às 9h de quinta-feira (25/1), as lideranças voltam a se reunir em Sessão Plenária. Acompanhe ao vivo em www.youtube.com/@ConfeaOnline/streams

Com informações da equipe de comunicação do Confea

Compartilhe:
Redação
Redação
Artigos: 6409