Semana Mundial do Brincar enfatiza a importância da prática para o desenvolvimento infantil

Compartilhe:

Evento tem programação voltada para crianças a partir de 6 anos

A Central de Arte e Educação da Secretaria de Cultura e Economia Criativa participa este ano da Semana Mundial do Brincar, campanha para a sensibilização da sociedade sobre a importância das brincadeiras na infância. O programa acontece hoje (24/05), na sexta-feira (26/05) e no domingo (28/05), em diversos espaços culturais da cidade de Manaus.

Todos os anos, a semana acontece em torno da data de 28 de maio, consolidada em 1998 como o Dia Internacional do Brincar. Com o intuito de desenvolver brincadeiras para pensar, para correr e para criar, a programação pretende resgatar diversas brincadeiras populares visando a florescer as habilidades motoras e cognitivas, em harmonia com a história de Manaus.

Neste primeiro dia (24/05), o encontro teve início às 9h, no Centro Cultural Palácio Rio Negro (avenida Sete de Setembro, 1546 – Centro), e contará com muitas brincadeiras na área do jardim, além de uma visita educativa ao espaço.

Na sexta-feira (26/05), as atividades ocorrerão no Centro Cultural dos Povos da Amazônia (avenida Silves, 2.222 – Distrito Industrial I), no horário das 9h às 11h30.

E no domingo, dia 28 de maio, o último dia de evento, a programação será das 17h às 21h, no Parque Rio Negro (rua Beira Mar, 121 – São Raimundo). Além das atividades recreativas, as crianças poderão desfrutar de oficinas, apresentações artísticas e cinema ao ar livre.

As atividades são voltadas para crianças a partir de 6 anos. Em caso de crianças mais novas, os pais poderão acompanhá-las e interagir com elas nas atividades. O mesmo é válido para crianças com deficiência.

“É importante entendermos a importância do brincar. A brincadeira é a primeira forma de se comunicar e de formar novas relações de expressão e descobertas. A criança começa a interagir melhor, e a encontrar suas dificuldades, limitações e conquistas, e entender o ato de perder e tentar de novo”, explica Ricardo Lopes, Gerente da Central de Arte e Educação da Secretaria de Cultura e Economia Criativa.

FOTOS: Grego Kellaris/Secretaria de Cultura e Economia Criativa

Compartilhe:
Redação
Redação
Artigos: 6524