Secretário executivo registra BO de invasão do gabinete do vice-governador do Amazonas, diz site.

Compartilhe:

O secretário executivo da vice-governadoria do Amazonas, Renato Nogueira de Oliveira, registrou, no início da tarde desta terça-feira, um Boletim de Ocorrência (BO) no 1° Distrito Integrado de Polícia (1° DIP), informando que o gabinete do vice-governador do Estado, Carlos Almeida Filho, na sede do governo do Amazonas, foi invadido, teve as gavetas das mesas e armários reviradas e as fechaduras trocadas por pessoas ainda não identificadas, no final da tarde de segunda-feira. As informações foram publicadas no site D24AM.

“O comunicante relata que é secretário executivo da vice-governadoria e no dia dos fatos tomou conhecimento que um funcionários ao chegar na secretaria da vice-governadoria para exercer suas atividades laborais, não conseguiu abrir a porta, pelo fato de terem trocado as fechaduras das salas. Que encontrou somente uma porta que dava acesso e perceberam que além de trocar as fechaduras, reviraram as gavetas das meses e armários. Que retiraram as fotos, quadros e objetos pessoais do vice-governador e do comunicante que estavam na sala e não sabem para onde levaram. Que soube que pediram para entrar em contato com a senhora Carol Grosso para reaver os pertences”, diz o relatório do BO.

Carlos Almeida Filho, que é defensor público de carreira, foi um dos maiores responsáveis pela candidatura e eleição do governador Wilson Lima (PSC). Ele foi secretário de Saúde e Chefe da Casa Civil, de onde saiu deixando uma carta em que dizia que o governo havia sido tomado por personagens perigosos.

No início deste mês, ele disse ao jornal Folha de S. Paulo que o alinhamento de Wilson Lima (PSC) com Jair Bolsonaro na pandemia transformou Manaus em um laboratório gerador da nova cepa de Covid-19, que matou milhares de pessoas. Na última semana, Carlos Almeida Filho, se filiou ao PSDB.

Em abril, a Procuradoria-Geral da República (PGR) denunciou ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) Wilson Lima, Carlos Almeida, o secretário chefe da Casa Civil do estado, Flávio Antony Filho, o ex-secretário de Saúde Rodrigo Tobias e outras 14 pessoas, entre servidores públicos e empresários, por crimes cometidos na aquisição de respiradores para pacientes de covid-19.

Segundo a subprocuradora-geral da República Lindôra Araújo, que assina a denúncia, instalou-se na estrutura burocrática do governo do Amazonas, sob o comando de Lima, “uma verdadeira organização criminosa que tinha por propósito a prática de crimes contra a Administração Pública, especialmente a partir do direcionamento de contratações de insumos para enfrentamento da pandemia, sendo certo que, em pelo menos uma aquisição, o intento se concretizou”. A denúncia acusa o governador de exercer o comando dessa organização criminosa voltada à prática de crimes diversos.

Fonte: https://bit.ly/3hPHpq5

Assista o Video:

Compartilhe: