Prefeitura de EIRUNEPÉ realiza campanha de conscientização ambiental com grande participação popular

Compartilhe:

Faça das ações sustentáveis um hábito e pratique todos os dias. A nossa vida depende do meio ambiente, mas a sua preservação depende de nós”, conclama a campanha

O município de Eirunepé (AM), distante 1.160 quilômetros de Manaus, por meio da Secretaria de Obras deu início nesta sexta-feira, 27, a campanha de conscientização ambiental no município. A intenção é reforçar com a população a importância da separação e destinação correta dos materiais orgânicos e recicláveis.

Diversos faixas foram espalhados pela cidade com as frases “Reciclagem começa em casa, colabore com o meio ambiente e faça você também a sua parte” e “O lixo que você joga no chão não fala, mas ele diz muito sobre você”.

Para o prefeito do município, Raylan Barroso (DEM) campanhas de conscientização ambiental são necessárias. “Precisamos relembrar sempre a importância de cada pessoa fazer sua parte com o meio ambiente. Infelizmente, muitos ainda possuem péssimos hábitos como o descarte irregular de lixo. A separação e destinação correta dos materiais orgânicos e recicláveis é essencial para preservação do meio ambiente”, afirmou.

A campanha envolve a coleta de materiais como papel e papelão, plásticos limpos, vidro, metais, sucata e eletrônicos. “Vamos ampliar essa campanha com a coleta de pilhas usadas há alguns anos na Prefeitura e agora estamos ampliando as opções de reciclagem de maneira ordenada, para que todos possam participar”, disse o prefeito.

Além da ação prática, que é a separação dos materiais e a correta destinação, a campanha leva a pensar mais sobre as questões ambientais, entre as quais o conceito da preservação talvez seja o mais importante. “O objetivo é levar a toda população a uma mudança de atitude, de postura e comportamento diante do ambiente em que vivemos e levar esse conceito para casa. Muita gente já o pratica, mas devemos disseminar essa ideia pois ainda há muito material reciclável sendo descartado no aterro sanitário, junto com o lixo orgânico”, completou.

Compartilhe: