Pesquisa apoiada pelo Governo do Amazonas desenvolve software para acompanhamento do sistema neurológico infantil

Compartilhe:

O estudo é amparado pelo Programa CT&I – Áreas Prioritárias, da Fapeam

O desenvolvimento de um software que permite gerar pontuações automáticas da avaliação neurológica, facilitar o acompanhamento do desenvolvimento infantil e gerar relatórios, com informações sobre a predição de risco de paralisia cerebral em bebês de 3 a 24 meses de idade foi o foco principal de uma pesquisa apoiada pelo Governo do Amazonas, por meio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), via Programa CT&I – Áreas Prioritárias, edital n° 010/2021.

O sistema tecnológico e de fácil acesso e funcionamento, direcionado à utilização em sistema de saúde pública, chamado “e-HINE”, surgiu do estudo intitulado “Desenvolvimento de Software para implementação do Exame Neurológico Infantil de Hammersmith (HINE) em programas de Follow-Up de bebês de alto risco: Modelo de atendimento infantil à atenção básica”, coordenado pela fisioterapeuta e doutora em Biotecnologia Ayrles Mendonça, da Universidade Federal do Amazonas (Ufam).

Ela explica que o software se encontra na sua versão experimental, devendo passar para os ensaios de usabilidade percebida por profissionais de saúde (com nível superior), que trabalham no acompanhamento do crescimento e desenvolvimento infantil (follow-up).

O estudo foi planejado para execução em duas grandes etapas. A primeira focou no desenvolvimento do software, com integração entre tarefas da equipe de saúde e de tecnologia. E a segunda prevê a aplicação do software no cenário de prática dos profissionais de saúde, utilizando-o para responder a questionamentos quanto a percepção de uso e utilização do HINE no acompanhamento do desenvolvimento infantil. 

“O grande diferencial do e-HINE é possibilitar a inserção da avaliação neurológica HINE no acompanhamento do desenvolvimento infantil, de modo a facilitar a aplicação do exame, reduzir custos relativos à impressão e aquisição do instrumento HINE, proporcionar predição de risco precoce da paralisia cerebral e, consequentemente, facilitar a inserção de crianças com potenciais alterações em programas de intervenção precoce”, defende Ayrles Mendonça.

Sobre o software

O e-Hine poderá ser utilizado em programas de follow-up, prioritariamente, vinculado à atenção primária à saúde. Os programas de follow-up visam, de modo geral, realizar o monitoramento e acompanhamento do crescimento e desenvolvimento infantil de crianças até aproximadamente 3 anos de idade, identificando potenciais anormalidades, deficiências ou atipicidades.

Ayrles Mendonça explicou que o e-HINE permite, também, o registro de dados clínicos gerais e cálculos de idade e idade corrigida (caso haja caso de prematuridade).

“Após a avaliação inicial dos dados gerais, o e-HINE transporta o usuário para a aba de aplicação do HINE, na forma digital, em que serão avaliados quesitos sobre o exame neurológico (função de nervos cranianos, postura, movimento, tônus e reflexos e reações), marcos motores e comportamento”, afirmou a coordenadora.

Ela diz ainda que para cada quesito do exame neurológico, há a indicação de uma pontuação, a qual, ao final do teste, devem ser somadas (gerando o Score Global) e os dados cruzados com referências sobre a predição de risco de paralisia cerebral. 

A finalidade é que o programa possa ser implementado nos ambulatórios de segmento (acompanhamento infantil), como prática rotineira para identificação precoce de risco de paralisia cerebral. Para que esse objetivo seja alcançado, a pesquisadora explica que as tratativas com a Secretaria Municipal de Saúde já foram realizadas e assim que o software estiver com todas as etapas de ensaio finalizadas, a plataforma será disponibilizada de forma gratuita.

Apoio da Fapeam 

O apoio da Fundação foi fundamental para a execução do projeto, uma vez que proporcionou a aquisição de materiais permanentes, materiais de consumo e custeio de recurso humano. “Além dos entregáveis palpáveis gerados pelo projeto, como o software e-HINE e dados científicos obtidos na pesquisa, o apoio da Fapeam contribui também para a formação de pesquisadores, no caso, na forma de um mestrado voltado ao tema da pesquisa”, complementou a coordenadora.

Programa CT&I – Áreas Prioritárias

O Programa visa apoiar propostas de pesquisa científica, tecnológica e de inovação, ou de transferência tecnológica, nas diferentes áreas do conhecimento, coordenadas por pesquisadores residentes no estado do Amazonas, vinculados às instituições de pesquisa ou ensino superior ou centros de pesquisa de natureza pública ou privada sem fins lucrativos, que busquem o avanço e o aprofundamento das áreas do conhecimento e o estudo de seus problemas e desafios, contribuindo com o desenvolvimento do ecossistema científico, tecnológico e de inovação no Amazonas.

FOTOS: Nathalie Brasil/Fapeam

Compartilhe:
Redação
Redação
Artigos: 6196