Na plenária, a solenidade foi acompanhada por professores e professoras que ajudaram a construir o conhecimento científico além da prática. Todos foram homenageados

Compartilhe:

A Escola de Enfermagem de Manaus (EEM), da Universidade Federal do Amazonas (Ufam) recebeu, no último dia 5 de dezembro, homenagem por seus 74 anos de fundação em solenidade na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam). A propositura foi do deputado Sinésio Campos, que concedeu os reconhecimentos ao diretor da EEM, Esron Rocha e ao pró-reitor de Ensino de Graduação, professor David Lopes Neto, que representou o reitor da Universidade, professor Sylvio Puga, que cumpre agenda oficial em Brasília.

A instituição iniciou as atividades em Manaus em 1949, e em 14.12.1951 recebeu autorização do Ministério da Educação e Saúde para funcionar através da Portaria nº 1.051/51. O reconhecimento oficial veio pelo Decreto-Lei nº 36.000, em 13.12.1954, consolidando sua importância no cenário educacional e de saúde. Nos anos 1990, debates sobre a localização institucional da EEM levaram a uma redefinição, culminando na transferência para a Fundação Universidade do Amazonas – UFAM, por meio da Lei nº 9.484, de 28.08.1997.

Para o diretor da Escola de Enfermagem de Manaus, professor Esron Rocha, a Enfermagem no Estado e por todos aqueles que exercem a profissão é sensivelmente enxergada e praticada como ciência. “Muitas professoras que hoje estão aqui e recebem conosco essa simbólica homenagem, promoveram uma docência científica forte. Hoje, não diferente ou distante do que falo, encontramos uma EEM forjada no ensino de excelência, com dois mestrados, um profissional e outro acadêmico, além de um doutorado e uma residência”, frisou. O diretor, na oportunidade de representar toda a comunidade da Escola, recebeu das mãos do deputado Abdallah Fraxe, uma placa alusiva à data comemorativa. Abdallah foi quem deu início à sessão, até que o deputado Sinésio Lopes pudesse assumir a presidência da cerimônia.

Representando a Administração Superior, o pró-reitor David Lopes Neto, teceu considerações em função da sessão comemorativa. Ele, profissional docente da Enfermagem, também já ocupou a direção da Escola. “Comemorar os 74 anos da EEM na Casa do povo é manter viva a nossa história. Trago a saudação do reitor Sylvio Puga, que tem a Escola de Enfermagem de Manaus como uma das unidades acadêmicas da área da saúde que vincula as atividades acadêmicas ao Sistema Único de Saúde”, lembrou. Ele ainda estabeleceu um elo entre a homenagem prestada pela Aleam e o Congresso de Iniciação Científica da Ufam, onde o tema “Reacendendo a chama da ciência” fez referência ao ano de 1854. “Na Crimeia, Florence Nightingale fez emergir a Enfermagem Moderna percorrendo os hospitais de Scutari com a lamparina para cuidar dos soldados-enfermos, objeto símbolo da profissão”, complementou.

Ao encerrar a solenidade, o propositor da sessão antecipou o convite às comemorações dos 75 anos da EEM, parabenizando a comunidade. “Neste momento especial, expressamos profundo reconhecimento à dedicação de todos os profissionais, docentes e discentes que contribuíram para a construção da história da EEM. O legado desses indivíduos é um testemunho vivo do impacto positivo que a Escola de Enfermagem de Manaus teve na formação de profissionais comprometidos com a saúde e o bem-estar da população”, declarou Sinésio.

A sessão foi acompanhada também pela diretora de Atenção Primária da Secretaria Municipal de Saúde, Sonja Farias, pelo coordenador geral do Escritório Estadual do Ministério do Desenvolvimento do Amazonas, José Ricardo, superintendente do Hospital Universitário Getúlio Vargas, o médico e professor Juscimar Carneiro Nunes, da presidente da Associação Brasileira de Enfermagem – Seção Amazonas, profª Nair da Silva, da representante do Sindicato dos Profissionais Enfermeiros Servidores Públicos do Estado do Amazonas, Sandra Daisy e da coordenadora do curso de enfermagem da Universidade Luterana do Brasil, profª Adriane Gama.

Compartilhe:
Redação
Redação
Artigos: 6409