Governo do Estado integra projeto “Amazônia + 10”

Compartilhe:

Iniciativa busca definir segmentos estratégicos para captação de investimentos e fortalecimento da economia

Visando o desenvolvimento de potenciais econômicos do Estado, o Governo do Amazonas aderiu ao projeto “Amazônia + 10”. A reunião introdutória entre os coordenadores do projeto e a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação (Sedecti), foi realizada nesta quarta-feira (12/04), na sede da pasta, localizada no bairro Cachoeirinha, zona Sul de Manaus.

De acordo com o secretário executivo de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), Jeibi Medeiros, a iniciativa do Estado integrar o projeto faz parte das diretrizes do governador Wilson Lima para o crescimento econômico sustentável. Neste primeiro encontro Medeiros destaca ainda que o objetivo é promover ações convergentes de Ciência, Tecnologia e Inovação (CT&I) que fortaleçam os eixos e proposituras do Planejamento Estratégico de Desenvolvimento Sustentável da Amazônia.

“Como a Amazônia hoje está no olhar do mundo e a gente precisa juntar todas as nossas comunidades para poder desenvolver um trabalho que traga desenvolvimento com sustentabilidade e prosperidade para o povo sem agredir a natureza” complementou o Secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação Jeibi Medeiros.

O “Amazônia + 10” é uma iniciativa do Conselho Nacional de Secretários Estaduais para Assuntos de CT&I (Consecti) e do Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap), para que escolhas estratégicas de segmentos sejam feitas em cada Estado para que se criar uma agenda específica de captação de recursos de diversos pontos, como Governo Federal, entidades privadas e Governo do Estado.

O coordenador do projeto, Antônio Galvão, explicou que toda região Norte está integrada na iniciativa e cada Estado tem a liberdade de apontar quais serão as prioridades para o fortalecimento da cadeia de investimento, produção e comercialização nos segmentos escolhidos.

“Não há nenhum preconceito para a escolha de temas e segmentos a ter acesso aos recursos. Podem ser temas ligados ao Governo, energia elétrica, saneamento, biodiversidade e tecnologia. O único critério é que esse tema tem que ter um significado para transformar a realidade das economias de sociedades locais”, destacou Galvão, ao ressaltar que novas rodadas de conversas e alinhamentos serão realizados no Amazonas, com a participação dos municípios do interior.

Também participaram da reunião a Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa), Universidade Federal do Amazonas (Ufam), Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa), e Rede de Recursos Humanos e Inteligência para Sustentabilidade na Amazônia (Rhisa).

Fotos: Frank Sena e Vitória Lima/Sedecti

Compartilhe:
Redação
Redação
Artigos: 6524