Fundação Hospitalar Alfredo da Matta leva cursos de baciloscopia em hanseníase à Paraíba

Compartilhe:

Fuham foi indicada pelo Ministério da Saúde, em reconhecimento à qualidade de curso já realizado em estados do Norte com o projeto Apeli

A Fundação Hospitalar Alfredo da Matta (Fuham) realiza nesta semana, na Paraíba, dois cursos na área de baciloscopia em hanseníase. A atividade, que iniciou na segunda-feira (09/05), compõe projeto coordenado pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), financiado pelo Ministério da Saúde, para capacitação de profissionais nos estados da Paraíba, Rio Grande do Norte e Alagoas.

O projeto “Fortalecimento da temática hanseníase na universidade, ampliar e fortalecer o diagnóstico e tratamento da hanseníase nos estados do Rio Grande do Norte, Alagoas e Paraíba”, coordenado pelo doutor em Medicina Tropical e consultor do Ministério da Saúde, Maurício Lisboa Nobre, tem como objetivo atuar nestes três estados, cuja detecção da hanseníase apresentou queda nos últimos dois anos, em função da pandemia de Covid-19, de modo a promover a capacitação em clínica, manejo clínico, tratamento e prevenção de incapacidades.

No total, 18 profissionais de laboratórios de nove municípios da Paraíba participam destes cursos, parte deles na capital João Pessoa e os demais em seus próprios municípios, já que a capacitação também está sendo realizada na modalidade Educação a Distância (EaD).

Segundo Maurício Nobre, a EaD se mostrou atrativa devido à necessidade de se capacitar profissionais em diferentes localidades simultaneamente.

“Nesse ano estamos desenvolvendo os cursos de baciloscopia para suporte à rede de diagnóstico, e a modalidade de Ensino a Distância ofertada pela Fuham é inovadora num curso de baciloscopia. E, como geralmente não dispomos de salas com grande número de microscópios, isso tornou o projeto bastante atraente”, explica Maurício.

Formações – Os cursos ofertados pela Fuham são: “Microscopia e Interpretação de resultados”, que está sendo realizado na modalidade EaD; e “Coleta do raspado Intradérmico e coloração”, ofertado presencialmente para os profissionais do Complexo Hospitalar de Doenças Infectocontagiosas Dr. Clementino Fraga (referência no estado da Paraíba para hanseníase) e para profissionais do Laboratório Central de Saúde Pública da Paraíba (Lacen PB).

O curso na modalidade EaD é inovador devido ao uso de uma plataforma e tecnologia que permitem a visualização de lâminas escaneadas contendo amostras do bacilo da hanseníase em tela de computador, mantendo a alta qualidade de imagens. Assim, a capacitação dispensa o uso de microscópios, facilitando sua realização, bastando um computador com acesso à internet.

Para Anna Stella Pachá, chefe do Núcleo de Doenças Crônicas e Negligenciadas do Estado da Paraíba, órgão ligado à Secretaria de Saúde do estado, com o curso se espera fortalecer a atuação dos profissionais e, consequentemente, o diagnóstico da hanseníase na Atenção Primária à Saúde, com a ampliação do acesso à população aos serviços de laboratório da rede SUS na Paraíba.

“Além do curso a distância, também optamos por um número de profissionais para treinamento presencial para que possam aprimorar também a prática do raspado intradérmico, aperfeiçoando a técnica laboratorial para análise e coleta”, explica Anna Pachá.

Curso inovador – A tecnologia utilizada pela Fuham no curso de baciloscopia EaD citado é a de lâminas escaneadas (digitalizadas) em alta resolução, até então inédita no Brasil e que foi desenvolvida graças à parceria com a empresa Controllab. Provedora de controle de qualidade laboratorial, a empresa disponibilizou as lâminas digitalizadas em um módulo especialmente criado para esta atividade da Fuham.

A iniciativa pioneira foi utilizada pela primeira vez em 2021,  tendo sido realizadas as primeiras turmas do curso de baciloscopia a distância durante o projeto Apeli para capacitar profissionais de estados da região Norte.

Projeto – O projeto Ação para Eliminação da Hanseníase (Apeli) foi desenvolvido inicialmente pela Fuham para o estado do Amazonas, sendo ampliado para estados da região Norte pelo Ministério da Saúde, por meio da Coordenação Geral de Vigilância das Doenças em Eliminação.

O objetivo é atuar no diagnóstico precoce e vigilância de contatos, mas também nas capacitações de profissionais de saúde dos municípios visitados, para fortalecer as ações de combate à hanseníase.

Segundo o diretor-presidente da Fuham Ronaldo Amazonas, o Apeli é um projeto de grande relevância para o combate à doença e foi desenhado inicialmente para o Amazonas, mas pode perfeitamente ser adaptado para demais estados da região Norte e de todo Brasil, como vem se confirmando.

“Apostamos no projeto Apeli com uma ferramenta importante na questão da hanseníase, pois o Amazonas sempre esteve entre os estados com número importante de casos, e acreditamos que sem um projeto de intervenção como este não alcançaríamos êxito no enfrentamento da doença”, afirma.

Disseminação – O curso de baciloscopia no modo EaD foi desenvolvido para atender às necessidades de treinamento do projeto Apeli para os estados da região Norte e, com seu sucesso, vem ganhando notoriedade entre especialistas da área e reconhecimento em todo país. Daí advém o interesse do Governo da Paraíba em adotar a metodologia como forma de capacitar tantos profissionais simultaneamente, em diversos municípios.

“A tecnologia usada é inovadora, permitindo o alcance de mais profissionais a um curso de alta qualidade, tendo como tutores especialistas de referência nacional, além de trazer maior praticidade”, explica Anna Stella Pachá.

Maurício Nobre concorda e complementa. “É de grande importância esse curso pois, por exemplo, na Paraíba só havia dois profissionais com experiência em hanseníase. É um novo conhecimento para promover uma nova habilidade e que vai ajudar muito nos municípios do interior do estado”, finaliza.

O curso na Paraíba se encerra nesta sexta-feira (13/05) e conta com dois profissionais da Fuham, o farmacêutico-bioquímico Jorge Ewerton Sales e o biólogo Valdinei Santarém.

FOTOS: Divulgação/Fuham

Informações para a imprensa: Assessoria de Comunicação da Fundação Hospitalar Alfredo da Matta (Fuam): 3632-5806.

Compartilhe: