FCecon conta com 24 mulheres no desenvolvimento de pesquisas

Compartilhe:

O Dia Internacional das Mulheres e Meninas na Ciência fomenta a participação delas em pesquisas

O dia 11 de fevereiro marca as comemorações da participação das Mulheres e Meninas na Ciência. A Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas (FCecon), unidade vinculada à Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM), conta com 24 mulheres que realizam pesquisas sobre o câncer, buscando melhorias na assistência aos pacientes.

O Dia Internacional das Mulheres e Meninas na Ciência foi criado pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) e pela ONU-Mulheres, para reconhecer o papel fundamental exercido pelo público feminino na ciência e na tecnologia.

A data fomenta o papel de mulheres e meninas na ciência e incentiva a participação delas nessa área.

Ciência na FCecon

Na Fundação Cecon, 24 pesquisadoras realizam 78 estudos, entre programas de Doutorado, Mestrado, pesquisas com institutos nacionais e internacionais, além de orientação em iniciação científica para universitários. O objetivo é buscar melhorias para a assistência oncológica oferecida no sistema público de saúde.

“As nossas pesquisadoras estão na FCecon buscando estudar o paciente oncológico e trazer mais conhecimento dessa área tão importante para a nossa sociedade”, destaca a pesquisadora da Diretoria de Ensino e Pesquisa da FCecon, a farmacêutica-bioquímica Valquíria Martins.

São estudadas diversas temáticas da oncologia, como o câncer de colo uterino, colorretal, de próstata, mama, pênis, de tireoide, aspectos genéticos e epigenéticos, aspectos nutricionais e psicológicos relacionados à oncologia, entre outros.

Contribuição

Uma das pesquisadoras que atuam na FCecon é a cirurgiã-dentista Lia Mizobe Ono, que coordena um estudo sobre a associação de vírus oncogênicos e o câncer de tireoide. A pesquisa foi apoiada pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), por meio do Programa Amazônidas – “Mulheres e Meninas na Ciência”.

“Esse estudo é inédito no Amazonas e, se ele for bem-sucedido, quem sabe, no futuro, poderemos criar vacinas para a prevenção deste tipo de câncer ou, talvez, conseguir o diagnóstico através de um exame simples”, explica Lia Mizobe.

Parcerias

Para a realização das pesquisas, há diversas parcerias com institutos como, Fapeam, A.C. Camargo Cancer Center e Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia).

FOTOS: Ludmila Dias/FCecon e Érico Xavier/Fapeam

Compartilhe:
Redação
Redação
Artigos: 6196