Estudante de Paranã conquista medalha de prata na Olimpíada Brasileira de Física

Compartilhe:

Ele é Nicolas, tem 16 anos, está muito feliz com o resultado, que representará um divisor em sua vida

Josélia de Lima/Governo do Tocantins

O estudante Nicolas Moura Lopes de Almeida, 16 anos, aluno da 2ª  série do ensino médio do Colégio Estadual Desembargador Virgílio de Melo Franco, de Paranã, ganhou uma medalha de prata na Olimpíada Brasileira de Física das Escolas Públicas (OBFEP 2022). Esse resultado alcançado por Nicolas representa o êxito do trabalho realizado pelo professor Waldisney Gonçalves de Almeida, que leciona Física e Matemática.

O professor Waldisney começou a participar da Olimpíada de Física em 2019, incentivando os estudantes a estudarem os materiais disponibilizados pelas comissões organizadoras das olimpíadas. No ano passado, 14 alunos se inscreveram na Olimpíada Brasileira de Física e quatro deles foram classificados para a segunda fase e aí veio a primeira medalha de prata para a escola, com o estudante Nicolas.

A escola já contabiliza uma medalha de prata na Olimpíada de Astronomia e uma medalha de prata na Olimpíada Brasileira de Biotecnologia. “Esses resultados me deixam feliz, é um reconhecimento para a minha carreira profissional. Fico satisfeito com a evolução da escola nas olimpíadas. No ano passado, consolidei de forma mais exitosa essa participação de estudantes nas olímpiadas escolares e em diversos eventos”, explicou o professor.

O professor Waldisney destacou a nova visão de outros colegas com relação às olimpíadas depois que a unidade escolar passou a ganhar medalhas. “Essa visão é importante, porque inscrevendo os estudantes nessas competições, ajuda a descobrir talentos e a melhorar o desempenho acadêmico dos alunos. Eu procuro conversar com os estudantes e prepará-los para as provas. Essa premiação veio a coroar o nosso trabalho porque houve um destaque para o professor e para a escola”, frisou.

Para o estudante Nicolas, ter alcançado uma medalha de prata representou um divisor em sua vida. “Eu fiquei surpreso e feliz, porque nunca acreditei que poderia ganhar uma medalha na olimpíada de Física. E mais feliz ainda por representar a escola pública estadual na competição. Essa foi a primeira medalha que ganhei num evento nacional. E isso me deixou muito feliz. Meu sonho é formar em astrofísica ou em ciências da computação”, contou o estudante.

OBFEP 2022

De acordo com a Comissão Organizadora, mesmo a educação estando sob o impacto da pandemia da Covid-19, no ano passado, foram inscritos cerca de 300 mil estudantes, o que representa um grande interesse pela olimpíada.

A olimpíada de Física constitui um programa permanente da Sociedade Brasileira de Física (SBF) e tem por objetivo despertar e estimular o interesse pela Física e outras ciências, além de identificar estudantes talentosos e incentivar seu ingresso nas áreas científicas e tecnológicas.

Foto: divulgação

Sugestão de legendas

Foto 1 – Para o aluno Nicolas, ganhar uma medalha representa um incentivo para estudar mais

Foto 2 – O professor Waldisney está feliz com o resultado que o seu trabalho está alcançando

Compartilhe:
Redação
Redação
Artigos: 6196