Em cinco anos, FCecon realizou 2,4 mil conizações

Compartilhe:

Essas cirurgias retiram lesões pré-malignas no colo do útero, evitando o câncer

O câncer do colo do útero é uma doença 100% evitável e leva de 10 a 15 anos para se desenvolver, após persistentes inflamações causadas pelo Papilomavírus Humano (HPV). De 2019 a 2024, a Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas (FCecon), unidade vinculada à Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM), realizou 2,4 mil conizações para evitar a doença.

Segundo o Instituto Nacional de Câncer (Inca), a cada 100 mil mulheres, 27,63 devem ter a doença no Amazonas, em 2024, totalizando 610 novos casos.

A secretária estadual de Saúde, Nayara Maksoud, faz um alerta para a prevenção. “É preciso que as mulheres façam o preventivo todos os anos e que busquem tratamento, ao sinal de qualquer intercorrência”, afirma, destacando a importância do trabalho que vem sendo realizado na FCecon e que ganhará ainda maior força com a inauguração, ainda este ano, do Centro Avançado de Prevenção do Câncer do Colo do Útero do Amazonas (Cepcolu).

A conização é a prevenção terciária da doença. Trata-se de uma pequena cirurgia que retira lesões pré-malignas do colo do útero, evitando a evolução para o câncer. É um procedimento ambulatorial, em que a paciente recebe alta no mesmo dia da cirurgia, sem precisar ficar internada. A FCecon é a unidade referência no Sistema Único de Saúde (SUS) para a realização da conização no Amazonas.

Evolução

Nos últimos anos, a prevenção ao tratamento do câncer do colo do útero tem evoluído no Amazonas. Em 2020, um fluxo foi estabelecido para regular as consultas para conizações, facilitando o acesso das pacientes.

Também foi criado, em 2019, o Movimento Estadual Março Lilás no calendário oficial de eventos do Amazonas, para reforçar as ações de prevenção ao câncer de colo uterino.

Cepcolu

Para ampliar o número de conizações no Estado, está sendo construído, anexo à FCecon, o Cepcolu. Será um hospital-dia com quatro consultórios, quatro salas cirúrgicas e um anfiteatro para treinamentos.

“Em 30 anos, esta é a primeira gestão estadual a construir um centro específico para prevenir o câncer de colo uterino no Amazonas. É a maior ação já realizada no Amazonas, para combater essa doença”, disse o diretor-presidente da FCecon, Gerson Mourão.

A previsão, segundo a médica ginecologista e gerente do serviço de Ginecologia da FCecon, Mônica Bandeira, é dobrar o número de conizações com a criação do Cepcolu.

“O Cepcolu será exclusivo para realizar as conizações. Queremos no mínimo dobrar o número de conizações anuais de 550 para 1.100, além de agilizar, realmente, de forma muito rápida, a realização desses procedimentos. Desta forma, estaremos evitando o câncer de colo uterino”, afirma Bandeira.

Números

No primeiro trimestre de 2024, 138 mulheres já foram submetidas à conização na FCecon. De 2019 até março de 2024, foram realizadas 2.488 conizações.

FOTOS: Laís Pompeu/FCecon

Compartilhe:
Redação
Redação
Artigos: 6409