Dra. Mayara realiza ação inédita no Brasil ao trazer crianças e adolescentes autistas para conhecer parlamento

Compartilhe:

Crianças e adolescentes autistas da Associação de Amigos dos Autistas do Amazonas (AMA) e Instituto Autismo no Amazonas (IAAM) participaram de uma visita guiada e cessão de tempo, nesta quinta-feira(30), em alusão ao Dia Mundial de Conscientização do Autismo celebrado no próximo dia 2 de abril. Proposta pela Dra. Mayara Pinheiro Reis (Republicanos), a visita guiada e direcionada para autistas foi a primeira realizada em uma Assembleia Legislativa do Brasil. 

 

Acompanhado dos responsáveis, crianças e adolescentes iniciaram a visita na Escola do Legislativo. De forma lúdica, instrutoras da escola ensinaram o papel do parlamento na sociedade. Em seguida, o grupo fez um tour pelo prédio das diretorias para conhecer a estrutura da Assembleia e seguiram até o Plenário Ruy Araújo.

 

De acordo com a deputada Dra. Mayara, o Poder Público precisa se unir para apoiar e integrar cada vez mais pessoas com TEA no meio social e também instituir uma política estadual específica para que esse grupo tenha acesso a direitos e serviços.

 

“Eu suscitei exatamente isso hoje nesta Casa, inclusive foi a primeira Assembleia do Brasil a trazer crianças e adolescentes com autismo ao parlamento para que pudéssemos ver de perto as dificuldades e também conhecer mais o trabalho dessas instituições, desses pais que tanto lutam para garantir direitos e um futuro melhor para seus filhos. Estamos aqui para facilitar e trabalhar em uma política de atenção integrada de serviços, não só na saúde, mas na assistência também. Com certeza amenizaria o sofrimento para essas famílias”, disse. 

 

A parlamentar explicou que pessoas com autismo precisam de acompanhamento integrado de várias especialidades para assegurar o desenvolvimento, mas a descentralização dos serviços causa transtornos para família e pessoas com TEA. 

 

“Hoje uma família que precisa de um diagnóstico, por exemplo, marca um neurologista no HUGV e precisa fazer tomografia no Delphina Aziz, então a atenção é descentralizada e a locomoção desses pacientes é muito difícil. Por isso precisamos de políticas que facilitem esse acesso. Propus prioridade no Sisreg para que tenham direito a uma fila diferenciada e também fiz um indicativo ao Executivo para que o Centro Especializado em Reabilitação IV (CER) seja um centro de atenção específico para pessoas com TEA”, afirmou. 

 

Além das propostas, a deputada instituiu, pelo Projeto de Resolução Legislativa (PRL) nº 10/2020, a Frente Parlamentar de Defesa dos Direitos da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista na Aleam e estabeleceu Diretrizes de Desenvolvimento Global do Estudante com Dislexia, Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade ou Transtorno do Espectro Autista, por meio da Lei nº 5.812/2022. 

 

Na cessão de tempo, representantes da AMA e IAAM se pronunciaram sobre a causa. Leda Maria, colaboradora da AMA e mãe de um autista, fez um apelo para que os deputados ajudassem na construção de uma nova sede para a associação. 

 

“Agradeço a deputada Dra. Mayara porque, sempre que solicitamos algo, ela ajuda. A AMA já tem 25 anos e é a única ONG que atende adolescentes e adultos autistas em Manaus, o autista mais velho que nós temos já vai fazer 58 anos. Queria fazer uma reflexão: Para onde os autistas irão quando eles crescerem? Eu falo como mãe, o autista precisa de suporte. Não temos, nem pelo estado e município, um centro de acolhimento para autistas adultos. Por isso, peço apoio para construir a sede da AMA, muitos autistas estão crescendo e esse número só tende a aumentar. Eles precisam ter um local para ir”, reforçou Leda. 

 

De acordo com Rogério Fonseca, instrutor do IAAM e pai de um autista, é necessário que haja uma visibilidade e envolvimento da sociedade no apoio e acolhimento de pessoas com TEA. 

 

“São indivíduos humanos sensíveis aos olhos da sociedade, quem vê cara não consegue identificar o autismo. Estou dentro do IAAM como colaborador voluntário, mas a gente não pode ter só pais, nós somos uma parte da sociedade e dentro de casa, fora da casa tem todos vocês, órgãos do Poder Público e demais cidadãos que ainda não estão preparados para integrar os autistas. Hoje estamos aqui tentando conscientizar e sensibilizar que esses seres invisíveis existem”, declarou. 

Compartilhe:
Redação
Redação
Artigos: 6331