Conselheira Yara Lins ​dos Santos é nova presidente do TCE-AM para biênio 2024-2025.

Compartilhe:

Primeira mulher a assumir a presidência do Tribunal de Contas do Amazonas (TCE-AM) há 6 anos, a conselheira Yara Lins dos Santos, de 66 anos, foi eleita, por 5 votos a  2, para comandar o TCE-AM nos próximos dois anos (biênio 2024-2025), durante Sessão Especial realizada logo após a 34ª Sessão do Tribunal Pleno. O vice-presidente eleito foi o conselheiro Luis Fabian, de 43 anos. A posse dos dois conselheiros, que comandarão o Tribunal nos próximos dois anos, acontecerá até o dia 15 de dezembro, no auditório da Corte de Contas.

Na mesma eleição, o colegiado elegeu o conselheiro Josué Cláudio como Corregedor-Geral do TCE e o conselheiro Mario de Mello como Ouvidor-Geral. O conselheiro  Júlio Pinheiro foi eleito para a coordenação-geral da Escola de Contas Públicas do TCE para os próximos 2 anos, no lugar do conselheiro Mario de Mello. As presidências das 1ª e 2ª Câmara devem ser definidas na primeira sessão ordinária de 2024.

“Quero agradecer aos meus colegas e amigos fiéis que trabalharam junto comigo essa vitória. Estou voltando como a mesma pessoa de sempre da primeira gestão, pacificadora para resgatar a fraternidade e seriedade do Tribunal. Vamos mostrar para a sociedade o que o Tribunal faz para avançar cada vez mais”, disse a conselheira-eleita, Yara Lins dos Santos.

O mais novo entre os conselheiros, o vice-presidente eleito Fabian Barbosa falou sobre o privilégio de ter vencido em pouco tempo de Corte. “Sinto-me extremamente honrado em ser o novel e já ter alçado à vice-presidência. É uma honra fazer parte dessa gestão com a conselheira Yara Lins dos Santos. Buscarei dar o suporte, aprender com a presidência sem me afastar dos meus princípios de atuação com viés pedagógico, de nível técnico, e que talvez possam me fazer alçar outros cargos na Corte de Contas”, afirmou.

Eleito para o cargo de corregedor-geral, o conselheiro Josué Cláudio falou do privilégio de fazer parte da administração da Corte de Contas. “Estou me sentindo muito realizado em fazer parte de uma administração do Tribunal de Contas. Faremos uma administração participativa, compartilhada entre seus membros que comporão a administração e a mesa diretora. Espero estarmos abençoados e iluminados para tomarmos as melhores decisões em prol da sociedade”, falou o corregedor-geral.

O conselheiro Júlio Pinheiro falou sobre a oportunidade de retornar à coordenação da Escola de Contas Públicas, criada em 2009 pelo hoje conselheiro-aposentado Raimundo José Michiles, e gerida pelo conselheiro Júlio Pinheiro no biênio 2012-2013.

“Retorno à escola de contas sabendo do papel fundamental pedagógico e de integração, buscando melhorar a qualidade da prestação de serviços, capacitando pessoas para que tenhamos uma escola efetiva. Iremos dar sequência a tudo que vem sendo realizado do ponto de vista positivo para integrar a escola à sociedade”, disse o conselheiro.

Trajetória da presidente-eleita

Assim como em 2017, quando foi a primeira mulher eleita como presidente da Corte amazonense, a conselheira Yara Lins dos Santos entra em um seleto grupo de mulheres que presidiram Tribunais de Contas no país por mais de uma vez.

A trajetória da conselheira Yara Lins dos Santos no TCE-AM é marcada por um serviço crescente ao órgão. Formada em Direito e Ciências Contábeis, Yara Lins completa, em 2024, 49 anos de funcionalismo no Tribunal de Contas do Amazonas. Ingressando como taquígrafa em 1975 por meio de concurso público, Yara passou pelos cargos de auditora-adjunta e auditora, antes de ser empossada como conselheira, em 2014.

Como primeira mulher a presidir a Corte de Contas amazonense, a gestão da conselheira no biênio 2018-2019 foi marcada pelo início de um processo de modernização e atualização dos serviços, responsável por consolidar o Tribunal como referência na área tecnológica em âmbito nacional.

Durante os dois anos em que esteve na gestão da Corte, realizou importantes projetos na área da tecnologia da informação, como a inauguração de um dos data centers mais estruturados da Região Norte, com novas plataformas e melhorias no processamento e armazenamento de dados, o que permitiu o TCE-AM a trabalhar, normalmente, durante o período de pandemia.

Outro ponto importante na gestão de Yara Lins foi a valorização e cuidado com o servidor. A humanização da gestão, marca registrada da conselheira, passou pelos servidores efetivos, comissionados, estagiários, e prestadores de serviços. Uma das comprovações desse aspecto humano foi a reestruturação do setor médico do Tribunal, que ganhou reformas e aquisição de materiais capazes de melhorar a qualidade de vida dos servidores.

Corpo Diretivo

A gestão da conselheira será acompanhada do novo vice-presidente, conselheiro Fabian Barbosa, o mais jovem na função entre os membros do Pleno. Com vasta experiência na gestão pública, sobretudo na área da educação, e um qualificado currículo no Direito, Fabian Barbosa foi eleito com cinco dos sete votos disponíveis.
A coordenação da Escola de Contas Públicas será feita pelo conselheiro Júlio Pinheiro, que ocupa o cargo pela segunda vez.

A corregedoria do Tribunal ficará sob gestão do conselheiro Josué Cláudio, que deixa o cargo de ouvidor-geral após dois anos de projetos e expansão do trabalho da Ouvidoria em todo o Estado.

Ocupando a vaga deixada pelo conselheiro Josué Cláudio, o então coordenador-geral da ECP, Mario de Mello, assumirá as atividades da ouvidoria para o biênio 2024-2025.
Fotos: Ana Cláudia Jatahy
Texto: Lucas Silva
Compartilhe:
Redação
Redação
Artigos: 6397