Com novas descidas, o Rio Branco, em Boa Vista (RR), registra cota de -1 cm

Compartilhe:

De acordo com Boletim de Monitoramento Hidrológico do Serviço Geológico do Brasil, divulgado nesta sexta-feira (16), nível é o 6º pior em 57 anos.

O principal rio do estado de Roraima, o Rio Branco, segue em processo de recessão, conforme indica o 7º Boletim de Monitoramento Hidrológico do Serviço Geológico do Brasil, divulgado nesta sexta-feira (16). Segundo os dados, na capital, Boa Vista (RR), foi observada a cota de -1 cm. Esse é o 6º nível mais baixo da série histórica, iniciada em 1967. No ano passado, em 17 de fevereiro, o rio estava na marca de 2,42 m.

A pesquisadora em geociências do SGB Jussara Cury explica que fevereiro é um mês crítico para a Bacia do Rio Branco, que já estava com cotas baixas e teve a situação agravada pelas chuvas abaixo da média na região. “Apesar do cenário, temos observado que estações próximas às regiões de cabeceira estão aumentando o nível, e isso pode impactar os pontos de monitoramento no Rio Branco”, explicou Cury.

No Alto Solimões, cabeceira da Bacia do Rio Amazonas, foram registradas elevações em Tabatinga (AM), que atingiu a cota de 9,84 m; e em Manacapuru (AM), que está na marca de 13,39 m. As estações de Fonte Boa (AM) e Itapeuá (AM) tiveram certa estabilidade. As cotas observadas são: 18,52 m e 11,64 m, respectivamente.

Fevereiro é também um período de mínimas na região do Alto Rio Negro, mas, nos registros mais recentes, foram observadas elevações no nível do rio nas estações de São Gabriel da Cachoeira (AM), que está na marca de 6,38 m, e em Barcelos (AM), que registra 2,5 m. As cotas estão dentro da faixa da normalidade. Em Manaus (AM), o Negro está em processo de enchente, com nível de 21,8 m, considerado normal para o período.

De acordo com o boletim do SGB, também estão em processo de enchente as estações do Rio Amazonas em Itacoatiara (AM), Parintins (AM) e Óbidos (PA) – com cotas de: 8,4 m, 3,76 m e 3,86 m, respectivamente. O Rio Acre, na cidade de Rio Branco (AM), subiu em média 17 cm nesta semana e alcançou 7,06 m.

Já o Rio Madeira voltou a cair e está abaixo da faixa de normalidade. Na estação de Porto Velho (RO), foi observada cota de 9,53 m e em Humaitá (AM) de 17,40 m.

Clique aqui para ter acesso ao 7º Boletim de Monitoramento Hidrológico da Bacia do Rio Amazonas.

Núcleo de Comunicação
Serviço Geológico do Brasil
Ministério de Minas e Energia
Governo Federal
imprensa@sgb܂gov܂br

Compartilhe:
Redação
Redação
Artigos: 6196