Com emenda da Dra. Mayara, Tefé terá o primeiro anexo hospitalar para gestantes do Amazonas

Compartilhe:

A deputada estadual, Dra. Mayara Pinheiro(Republicanos), destinou R$ 1 milhão em emenda para construção de um anexo voltado para gestantes no Hospital Regional do município de Tefé. A parlamentar divulgou a informação em sessão plenária, nesta quarta-feira(04).

De acordo com Mayara, o anexo hospitalar visa fortalecer a rede de atendimento às gestantes no interior do estado. A ação pioneira vai otimizar os serviços na Calha do Médio Solimões.

“Tefé vai ser o primeiro município a ter um anexo hospitalar voltado para gestante, tenho certeza que isso vai ser de grande valor para as mulheres. É uma ação pioneira, então eu vou ser a primeira deputada a promover isso e ter o registro no município’, destacou.

Além da construção do anexo, a parlamentar também já destinou mais de R$ 1,1 milhão para aquisição de ambulancha, realização de jornadas cirúrgicas gerais e oftalmológicas no município. “Tenho muito orgulho de dar minha contribuição ano após ano”, afirmou, ao parabenizar a gestão do atual prefeito Nicson Marreira.

Mulheres na política

Mayara também repercutiu, na tribuna da Aleam, o Censo das Mulheres Prefeitas 2021-2024 realizado pelo Instituto Alziras, que evidenciou a ausência da participação feminina na política.

Segundo o estudo, mesmo sendo 52,8% do eleitorado brasileiro, apenas 15% das mulheres ocuparam o Congresso em 2018. Já nas eleições municipais de 2020, somente 11,7% das candidatas foram eleitas para prefeitura, e 16% para as câmaras municipais.

Questionadas sobre as principais dificuldades para acesso à vida pública, as entrevistadas listaram falta de recursos (47%) para campanha, desmerecimento de fala e trabalho (36%) e violência e assédio no espaço público (26%). A deputada relembrou que foi a mais votada da história do estado e destacou a importância da participação feminina na política.

“Um dado que chama atenção nessa pesquisa é que as prefeituras administradas por mulheres durante a pandemia tiveram 44% menos mortes e 30% menos internações, ou seja, nós temos capacidade e sensibilidade para atuar nesse meio. Venho aqui para incentivar mais mulheres a ocuparem esses espaços de poder. Quando uma mulher entra na política, ela muda. Mas quando várias mulheres entram na política, é a democracia, é os serviços dispensados para a população que melhoram”, enfatizou.

Compartilhe: