CIEAM lança Comissão de Competitividade para o fortalecimento da indústria na região

Compartilhe:

O Centro da Indústria do Estado do Amazonas (CIEAM) deu um passo significativo para impulsionar a competitividade da indústria local com o lançamento da “Comissão de Competitividade”. A primeira reunião da Coordenadoria foi realizada nesta terça-feira (9 de janeiro de 2024),  por meio de vídeo chamada com a participação de coordenadores de algumas Comissões CIEAM.

O encontro foi presidido por Lúcio Flávio Morais de Oliveira, presidente-executivo do CIEAM, que apresentou os antecedentes e os objetivos da recém-criada Coordenadoria. A pauta incluiu a participação de Augusto César Rocha, Professor Associado da UFAM, que conduziu uma discussão aprofundada sobre competitividade e políticas públicas, destacando o papel crucial do CIEAM como um importante stakeholder nesse contexto. Rocha é coordenador da Comissão CIEAM de Logística e agora também vai liderar a nova Comissão instalada.

Lúcio Flávio Morais de Oliveira, lembra da palestra que o empresário Jaime Benchimol realizou no CIEAM sobre o tema da competitividade e a importância de ser uma agenda prioritária. “Inicialmente durante uma reunião do Conselho Superior no dia 28-07 nós pensamos em formar a Comissão com cada coordenador, nessa palestra, foi explanado que há uma tripla missão para a manutenção da competitividade e o futuro do Amazonas que são preservar as vantagens do modelo atual, reduzir a distância e permitir que a iniciativa privada explore atividades viáveis economicamente”, destacou.

Documento trimestral

Uma das propostas em destaque é a criação de produtos periódicos pela Comissão de Competitividade. Entre eles, a proposta inicial é a manutenção de um documento atualizado no site do CIEAM, fornecendo informações sobre as necessidades da indústria do Amazonas para aumentar sua competitividade, com três versões anuais. Além disso, a comissão pretende interagir ativamente com a sociedade e instituições públicas e privadas para abordar essas questões.

“Entendo que uma Comissão de Competitividade eventualmente vai discutir infraestrutura, política fiscal, políticas públicas, fazer ação antidumping por causa de ação de pedal de bicicleta como já tivemos que experimentar aqui, vai ter que discutir a MCM junto ao MDIC e MCTI e os problemas das nossas empresas igual outras comissões estão discutindo Lean Manufacturing, contratação de gente; então a competitividade se apresenta de diversas formas, mas predomina a questão da política pública”, avaliou o coordenador Augusto César Rocha.

Ficou definido que a frequência de reuniões será bimestral com uma reunião para coleta de propostas e uma segunda para fechamento do documento que ficará disponível de forma pública no site da entidade.

Compartilhe:
Redação
Redação
Artigos: 6409