Alunos da EJA garantem vagas em cursos técnicos profissionalizantes do Ifam 

Compartilhe:

Parceria entre Secretaria de Educação e a instituição federal atende jovens e adultos, da capital e de seis municípios do interior

Na próxima segunda-feira (20/03), jovens e adultos da rede estadual de ensino da capital iniciam as atividades no Programa Nacional de Integração da Educação Profissional com a Educação de Jovens e Adultos (Proeja), o qual faz parte da Formação Inicial e Continuada (FIC). A iniciativa é uma parceria entre a Secretaria de Estado de Educação e Desporto e o  Instituto Federal do Amazonas (Ifam).

O Proeja-FIC tem como objetivo proporcionar uma educação que garanta a continuidade da Educação Básica em todas as  dimensões. Além da capital, alunos de seis municípios do interior do Amazonas também estão sendo atendidos. Em Maués, Iranduba, Manacapuru, Eirunepé, Parintins e Coari, a aula inaugural ocorreu no último dia 13 de março.

Para este ano, 351 alunos já estão garantidos no projeto, sendo 149 da capital e 202 do interior. A seleção foi feita a partir de inscrições, diretamente nas escolas. O Proeja-FIC consiste na modalidade de Educação a Distância (EAD) e encontros presenciais realizados à noite, além de possíveis encontros agendados aos sábados, com carga horária total de 200 horas. Os cursos oferecidos são de formação profissional e técnica de curta duração, voltados para estudantes da EJA que estão no Ensino Médio, correspondentes a 9ª, 10ª e 11ª etapa.

Devido à necessidade de uso de computadores e/ou celulares para estudo, um pacote de internet também será disponibilizado para as aulas teóricas.

Capital

Na aula inaugural em Manaus,  a programação contará com a palestra “A importância da qualificação profissional para o mundo do trabalho”, ministrada pelo professor Dr. Dênis da Silva Pereira, e uma aula on-line sobre “Como utilizar a plataforma moodle para os estudantes do EAD?”, ministrada pela professora mestre Adriana Carla de Morais Vale. Em Manaus, o Ifam conta com três campos, localizados, sendo um na zona leste, outro no Centro e o terceiro no Distrito Industrial.

A atual gerente da EJA e do Departamento de Políticas e Programas Educacionais (Deppe), Kátia Mendes, falou sobre o projeto e a importância dos cursos do Proeja-FIC, para a inserção do aluno no mercado de trabalho.

“O objetivo é destacar essa qualificação profissional dos estudantes da Educação de Jovens e Adultos e uma formação técnica promovida em parceria pelo Ifam. Essa configuração dessa política educacional de preocupação com a qualificação possibilita a inserção do aluno da EJA no mercado de trabalho, garantindo condições de competitividade, além do mundo de produção e criatividade que é o contexto local, já que vivemos em um polo industrial”, explicou a gerente.

Os cursos oferecidos pelo Proeja são: desenhista da construção civil, eletricista instalador predial de baixa tensão, assistente de logística, assistente administrativo, operador de computador, informática básica, criadores de peixe em tanque-rede, gestor de microempresa, agricultor familiar, operador de supermercado e agente de inclusão digital em centros públicos de acesso à internet.

Sobre o EJA e o Proeja

A Educação de Jovens e Adultos (EJA) foi criada no ano de 2003, integrando o programa Brasil Alfabetizado. Ela é uma modalidade de ensino voltada para aqueles que não conseguiram concluir o Ensino Básico no tempo indicado. O aluno participa das disciplinas e, ao concluir o EJA, obtém o certificado de conclusão do curso.

O Programa da Educação de Jovens e Adultos integrado à Educação Profissional – EJA Integrada (Programa EJA/EPT)  foi instituído pela Portaria 962, de dezembro de 2021, do Ministério da Educação (MEC).

FOTOS: Euzivaldo Queiroz/ Secretaria de Estado de Educação e Desporto

Compartilhe:
Redação
Redação
Artigos: 5246