Alfredo da Matta constata epidemia oculta de hanseníase e vai combatê-la em todo Amazonas

Compartilhe:

Estudos epidemiológicos realizados na Fundação Hospital Alfredo da Matta (FUAM) apontaram a existência de uma epidemia oculta do mal de hansen no Amazonas, fato constado quando da realização de atividade de campo no município de Autazes. Por isso, o órgão decidiu criar um projeto, denominado Ação Para Eliminação da Hanseníase (Apeli), que pretende visitar todos os municípios do Estado para combater a doença. A primeira etapa está ocorrendo no município do Careiro Castanho.

Em apenas dois dias de atividade, já foram diagnosticados 13 casos novos hanseníase no Careiro Castanho, o que, além de comprovar a necessidade da realização do Apeli, confirmam a existência de uma endemia oculta do mal de hansen em um município que tinha em registro ativo apenas quatro doentes.

“Essa importante atividade de saúde que visa sobretudo reduzir a carga de Hanseníase no estado do Amazonas”, diz o diretor-presidente da FUAM, Ronaldo Derzy Amazonas. Ele próprio comandou a equipe de 25 profissionais de saúde, entre técnicos, enfermeiros, médicos, fisioterapeutas, assistentes sociais, farmacêuticos, psicólogos e administrativos. É uma operação ousada e desafiadora”, acrescenta.

Para colocar o projeto de pé, Amazonas teve o apoio do Governo de Estado e foi atrás de emendas parlamentares tanto em Brasília quanto na Assembleia Legislativa do Amazonas. Entre medicamentos, insumos de laboratório, material educativo, produtos para saúde, equipamentos de proteção e material administrativo, apenas a ação no Careiro custará algo em torno de R$ 400 mil reais.

“Note-se que é um investimento irrisório em se tratando de cuidar da saúde dermatológica de nossos irmãos do interior, muitas vezes sem a oportunidade de obter atenção especializada em saúde pública”, ressalta Amazonas.

Além de atenção à saúde, a FUAM leva consigo na operação toda gama de conhecimento em dermatologia e doenças sexualmente transmissíveis para capacitar as equipes locais em todos os níveis.

A FUAM treinou em dois dias mais de 200 profissionais e técnicos de saúde do Careiro, cuja Prefeitura assinou Termo de Cooperação, atuando como parceira nessa atividade. Ao final do projeto, o município ficará com o legado material, educativo e de saúde para prosseguir com as atividades por conta própria.

Outra parceria importante foi firmada com a Diretoria de Saúde Indígena local, que se juntou com sua equipe aos servidores da FUAM e, cedendo um barco, enveredaram pelas comunidades indígenas do município levando o mesmo nível de atenção à saúde dermatológica e em infecções sexualmente transmissíveis às populações tradicionais.

As ações do Projeto APELI vão se prolongar até o dia 29 de julho.

O que é

A hanseníase é uma doença crônica, causada pela bactéria Mycobacterium leprae, que pode afetar qualquer pessoa. Caracteriza-se por alteração, diminuição ou perda da sensibilidade térmica, dolorosa, tátil e força muscular, principalmente em mãos, braços, pés, pernas e olhos e pode gerar incapacidades permanentes. No passado, era conhecida como lepra e ocasionava o isolamento de seu portador em colônias afastadas das cidades, porque era senso comum que se tratava de um mal altamente transmissível. Em Manaus, o bairro Colônia Antonio Aleixo abrigou, no passado, uma dessas comunidades.

Compartilhe: