ENTIDADES DE ASSISTÊNCIA SOCIAL AO AMAZONAS INVESTEM EM MELHORIA NAS AÇÕES COM RECURSOS DESTINADOS PELO SENADOR PLÍNIO VALÉRIO

Compartilhe:

 Três instituições de Manaus receberam no mês de outubro o pagamento de emendas destinadas pelo senador Plínio Valério (PSDB-AM) para melhorar o atendimento às crianças e jovens em situação de vulnerabilidade e às mulheres do interior que buscam tratamento de câncer em Manaus. A Fundação Pró-Menor Dom Bosco, O Pequeno Nazareno e o Lar das Marias foram as entidades contempladas com as emendas do senador amazonense no valor de R$ 364 mil.

“São entidades que atuam na ponta, no atendimento às pessoas que mais precisam, como crianças e jovens, mulheres que encontram acolhimento quando buscam tratamento médico em Manaus e famílias desassistidas. Faz parte do meu trabalho como senador atender também essas instituições que fazem um trabalho sério e importante e que precisam de ajuda. Continuaremos na missão de descentralizar os recursos de Brasília que a população paga em impostos e devolver em benefícios sociais”, destaca o senador Plínio Valério.

O recurso de R$ 104 mil garantido por Plínio Valério ao Pequeno Nazareno atenderá um abrigo que acolhe 10 adolescentes na Colônia Terra Nova, zona norte de Manaus. Com a emenda, serão adquiridos materiais pedagógicos e alimentação para as crianças e adolescentes que são acolhidos na instituição, a primeira casa para acolhimento de meninos em situação de rua de Manaus. “São jovens em situação de vulnerabilidade, muitos deles sofreram abuso e violência dentro de casa. Ou são meninos vítimas do tráfico de drogas”, destaca a coordenadora de projetos da instituição, Gerlane Araújo. No abrigo, os jovens são encaminhados pela justiça.

A coordenadora explica que o Pequeno Nazareno atende também crianças e adolescentes que estão nos sinais ou em situação de rua na capital. Esse trabalho é feito em campo por uma equipe de abordagem. “Foi descoberta por essa equipe que 90% dos meninos que estão nos sinais moram na colônia Antônio Aleixo, então, desde 2017 já desenvolvemos um projeto de cursos profissionalizantes no local”, explica. Gerlane conta ainda que um jovem que foi atendido pelo Pequeno Nazareno fez um curso profissionalizante e hoje está no mercado de trabalho.

A Fundação religiosa Pró-Menor Dom Bosco que atua em Manaus há 40 anos no atendimento de jovens em vulnerabilidade social foi beneficiada com R$ 130 mil para manutenção dos projetos sociais desenvolvidos pela entidade.

A coordenadora de projetos Luciana Lopes destaca que a Pró-Menor atua em três frentes em Manaus: o Sonhar Futuro, que atende jovens entre 12 e 14 anos; o Construir Futuro, com idades entre 15 e 22 anos e o Família Solidária, focado no atendimento de 60 famílias de extrema pobreza, além de jovens contratados através do programa de aprendizagem em parceria com empresas da capital. Esses projetos sociais são direcionados a famílias da Zona Leste de Manaus. “Ao todo são cerca de 400 adolescentes que atendemos diariamente na instituição. O recurso será destinado para o custeio dessas atividades como material esportivo, alimentação e material de higiene pessoal”, explica.

TRATAMENTO DE CÂNCER

O Lar das Marias, que abriga gratuitamente mulheres do interior e da região Norte que vão a Manaus em busca de tratamento contra o câncer, recebeu R$ 130 mil. Com o recurso, a instituição vai adquirir utensílios de cozinha, gêneros alimentícios, materiais de limpeza e higiene e materiais de expediente. O Lar fica no bairro Dom Bosco e tem capacidade para receber até 25 mulheres, com direito a uma acompanhante do sexo feminino. A diretora de eventos do Lar das Marias, Circe Genu de Mendonça, conta que o abrigo oferece seis refeições diárias para as mulheres, materiais de higiene pessoal, roupa de cama e banho. Para que todas possam fazer o tratamento com tranquilidade, a ideia da instituição é que o Lar das Marias seja uma extensão do lar de cada mulher que é atendida. “Tentamos trazer um pouco do lar de cada uma, proporcionando para elas uma qualidade de vida para que elas não tenham preocupação nenhuma, a não ser cuidar da sua saúde. No lar elas não têm preocupação com custo nenhum”, conta Circe.

O Lar conta ainda com uma equipe de assistentes sociais que auxiliam nos trâmites para exames e tratamentos e até motoristas para locomoção em exames e consultas. Circe explica que muitas mulheres voltam para o interior e sempre contam o Lar quando precisam fazer novamente um exame ou retorno periódico. A Associação foi fundada em 2006 pela médica oncologista Adelaide Portela, que via muitas mulheres que chegavam para fazer tratamento e encontravam dificuldade para ficar em Manaus ou não tinham condições de alugar um quarto para ficar na capital durante o tratamento. “A criação do lar facilitou para essas mulheres receberem o tratamento e orientações necessárias”, afirma Circe.

Compartilhe:
Imagem padrão
redacao
Artigos: 254